top of page
  • Foto do escritorSara Mendonça

Dor lombar: 7 factos que todos deveriam saber

Atualizado: 20 de jul. de 2022

A dor nas costas é a maior causa de incapacidade no mundo. Saiba 7 factos que todos deveriam saber e surpreenda-se com alguns deles!


Nos últimos anos, através dos muito estudos científicos realizados, a forma de pensar e tratar a dor lombar alterou bastante. Contudo, as crenças e as ideias antigas sobre a dor nas costas, continuam bem enraizadas na população e até em alguns profissionais de saúde. Tendo como base a publicação da britânica Chartered Society of Physiotherapy em 2017 e a publicação de 2020 da British Journal of Sports Physiotherapy encabeçada pelo investigador Peter O’Sullivan, deixo-vos aqui 7 factos que todos nós deveríamos saber sobre a dor lombar.


1 – As suas costas são mais fortes do que pensa.

A maior parte das pessoas terá dor lombar durante a sua vida. Esta pode ser incapacitante e preocupante, mas é extremamente comum e raramente perigosa.

A coluna é uma estrutura forte, estável e não é facilmente lesada, a maior parte das vezes a dor nas costas resume-se a uma simples entorse ou distensão muscular. Nestes casos – 98% segundo os estudos – as pessoas recuperam rapidamente e muitas o fazem mesmo sem tratamento. Algumas pessoas têm episódios repetidos de dor, que embora stressantes, são raramente perigosos[1].



2- Exames como a ressonância magnética, raramente mostram a causa da dor lombar.

Normalmente os exames revelam bastantes alterações com nomes assustadores como “hérnia discal”, “degeneração discal”, “artrose”, “protusão discal”, etc. Hoje em dia, sabe-se que estes achados são muito comuns, mesmo em pessoas que nunca tiveram dor lombar.[2]

Muitos estudos indicam que o uso inadvertido destes exames pode ser prejudicial. Isto porque as pessoas, ao terem conhecimento das suas alterações na coluna, podem ficar exageradamente preocupadas e evitar certas atividades que deveriam fazer para ficarem melhor, como o exercício e o movimento em geral. A maioria das alterações na coluna são perfeitamente normais e não devem ser temidas[1].

Em casos muito raros, poderá haver algo mais sério com a sua lombar e os exames complementares de diagnóstico poderão ser de grande ajuda para descobrir o que se passa consigo. Contudo, estes são apenas 2% dos casos[1].


3- A dor lombar não é causada pela "má" postura.

Mesmo que às vezes tenhamos dor nestas atividades, a maneira como nos sentamos, ficamos em pé ou como dobramos as costas não são a causa da nossa dor lombar. Variar as posturas durante o dia é benéfico e deve ser incentivado. Ficar sentado ou dobrar-se à frente de forma relaxada, mesmo com as costas curvadas, é seguro e saudável[2].


4- Não deve ter medo de “dobrar” as costas ou levantar pesos.

Da mesma forma que levantar pesos torna os músculos mais fortes, mover-se e carregar pesos fazem com que as costas fiquem mais fortes e saudáveis. Actividades como correr, levantar pesos e dobrar as costas são seguras se começar de forma gradual e as praticar regularmente[2].


5- Ter dor durante o exercício não é perigoso para a suas costas.

Quando estamos com dor, é natural que a coluna e os músculos ao seu redor tornem-se bastante sensíveis ao toque e ao movimento. A dor que sente durante o movimento reflete a sensibilidade do corpo e não o tamanho da sua lesão[2].

O exercício e o movimento são uma das maneiras mais eficazes para tratar a dor lombar[2]. Comece devagar e aumente gradualmente a quantidade e a intensidade da atividade que está a fazer e não se preocupe se no início ficar um pouco dorido – não está a fazer mal às suas costas[1].


6- Se a dor aumentou, não significa que a sua lesão piorou.

Embora os aumentos de dor possam ser assustadores, estes não significam que a sua lesão piorou, ou que danificou a sua coluna. São causas comuns de aumento da dor - a má qualidade de sono, stress, ansiedade, inatividade física e actividades físicas não habituais. Controlar estes factores ajuda a prevenir aumentos de dor e se esta ocorrer tente ficar calmo, relaxado e exercite-se[2].


7- Injecções, cirurgia e medicação na maioria das vezes, não são uma cura.

Injecções, cirurgia e medicação não são muito eficazes no tratamento da dor lombar persistente a longo prazo, podendo trazer riscos e efeitos secundários. Encontrar maneiras de controlar a sua dor de forma segura e natural (ex.: exercício físico, relaxamento) é a chave[2].


Conclusão

A investigação científica na área da dor lombar continua a nos surpreender e a deitar por terra antigas ideias já enraizadas na sociedade. Ainda não existe uma “cura” milagrosa para a dor lombar persistente, mas sabe-se que o movimento e a atividade física são muito importantes para a recuperação. Na One Life damos muita ênfase ao exercício como forma de terapia - sessões de fisioterapia, exercício clínico e pilates individual ou em grupo são serviços que dispomos na nossa clínica.


Muito obrigada por lerem,

Sara Mendonça

Fisioterapeuta e Instrutora de Pilates na FisioAjuda - Especialistas na Coluna, Funchal


Conheça-nos melhor em: https://www.fisioajuda.pt/

Morada: Rua Vale da Ajuda 96 - Funchal (ao lado da Farmácia da Ajuda)

Telefone: 964 422 523 ou 291 782 327



Referências:

[1] Chartered Society of Physiotherapy, «10 things you need to know about your back», 2017. https://www.csp.org.uk/publications/10-things-you-need-know-about-your-back.

[2] P. B. O’Sullivan et al., «Back to basics: 10 facts every person should know about back pain», Br. J. Sports Med., vol. 54, n. 12, pp. 698–699, Jun. 2020, doi: 10.1136/bjsports-2019-101611.

77 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page